quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Antena de caixote :)


Inventividade é isso ai: Saber como funciona e usar a cabeça :oD
(no texto: O autor explica como usou caixas de papelao cobertas de papel aluminio para fazer duas antenas de satelite, e trabalhar - de cara - italia)

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

O que é ser um radioamador de verdade?

Estava lendo a QST de maio de 2000, e encontrei esse excelente editorial de David Summer, K1ZZ. Traduzi rapidinho e coloquei aqui, espero que gostem :o) Desculpem os erros, é que eu to realmente com pressa =D

---8<---Corte Aqui---8<---
Nós todos sabemos como uma pessoa se torna um radioamador licenciado. Voce estuda, passa por um teste e ganha um pedaço de papel da ANATEL. Faça isso e voce é um radioamador.

Ser um "radioamador de verdade" é diferente. Nao é apenas ter a licença, é mais que isso - é como voce se sente em relacao ao radio e como voce lida com esses sentimentos.

Conseguir a licença nao é o fim do caminho. Para um radioamador de verdade, é apenas o inicio da aventura.

Ser um radioamador de verdade significa ter todo um amor pelo radio e pelo que pode ser executado com o radio para beneficiar outras pessoas. Significa estar disposto a apreciar a magica de um radinho de galena e a maravilha da tecnologia avançada igualmente e ao mesmo tempo. Significa trabalhar com outras pessoas que compartilham seu amor pelo radio para fazer um serviço ou alcançar um objetivo.

Se eles nao se sentem dessa forma em relacao ao radio, porque alguem se importaria em conseguir uma licença de amador hoje? Em um passado nao tao distante, algumas pessoas se tornaram radioamadores simplesmente para usar o radio como um serviço de comunicacao pessoal. É facil se esquecer que telefones celulares sao um fenomeno relativamente recente, e que antigamente, autopatches na repetidora forneciam serviço que era mais barato e melhor do que muitos que eram disponiveis comercialmente. Nao foi a muito tempo atras que 'CQ com trafego telefonico" era ouvido normalmente nas bandas de HF porque as chamadas telefonicas internacionais eram caras e dificeis de se consegur. Agora isso tudo acabou, exceto para locais extremamente isolados ou durante emergencias. Statisticas pre-reestruturacao podem ter mostrado um declinio na atividade de licenciamento, mas quanto desse declinio pode ser atribuido a pessoas tendo acesso a serviços de comunicacao pessoal melhores e mais apropriados, e nao ter mais que usar o radioamadorismo dessa forma? Talvez o numero de radioamadores recem-licenciados nao tenha diminuido!

Qualquer pessoa que faz a prova para obter uma licença hoje em dia é potencialmente um radioamador de verdade, ou pelo menos merece o beneficio da duvida.

Algumas vezes para ser um radioamador de verdade, uma licença nao é necessaria. Nao seria alguem que amavelmente restaura um receptor antigo um radioamador, licenciado ou nao? Nao deveriamos chamar como "um de nós" qualquer pessoa que acorda ao amanhecer apenas para escutar sinais tropicais de broadcasting aparecendo por alguns poucos minutos, vindo do outro lado do mundo? Nos estamos interessados em obter uma alocacao de frequencias baixas para experimentacao em radio, mas nao deveriamos dar valor e honra ao que ja é feito, sem licença, dentro das regras (NdoT: Part 15 of FCC rules)? Se um voluntario prove radiocomunicacao valiosa em uma emergencia, realmente importa em qual frequencia o radio opera ou em que serviço parece estar licenciado?

Resumindo, nao é a licença que faz voce um radioamador de verdade, mas sim o que voce faz com ela!

E há muito a fazer! Muitos de nós so exploram um pequenino pedaço dos mundos que estao abertos a um radioamador licenciado. Os sortudos entre nos tem guias experientes - Elmers (NdoT: Anciãos) - que estao mais que dispostos a gastar o seu tempo nos ajudando a iniciar nossas explorações. Talvez os proprios Elmers sao mais sortudos ainda, porque eles descobriram a alegria que é compartilhar a sua paixao com os outros.

No inicio da lista de coisas que podemos - e devemos - fazer sao as comunicacoes publicas e de emergencia. Participacao regular pode nao ser pra todos, mas cada radioamador deveria saber os basicos e deveria saber como entrar no ar quando as comunicacoes normais sao interrompidas. Isso nao é o minimo que podemos oferecer em troca da cadeia de privilegios que nos usufruimos?

Alem diso há toda uma gama de oportunidades para explorar, nao é possivel explorar a todas. Há novos satelites para explorar, com a joia da coroa do esquadrao de satelites amadores, Phase 3D, aguardando para entrar em orbita. O ciclo solar finalmente começa a aumentar o numero de manchas solares, com aberturas mundiais em 10 metros aparecendo a tempo para temperar a procura por contatos com duas novas entidades DXCC.

Ao risco de ser acusado de fazer propaganda de um produto comercial, o kit de transceptor Elecraft K2 é um dos mais positivos desenvolvimentos em radioamadorismo nos anos recentes. O K2 responde a nossa nostalgia pela era Heathkit, enquanto oferecendo boa performance e um senso de conquista pessoal e uma comunidade de amigos construtores.

Como voce vai ver no artigo de Steve Ford esse mes (NdoT: QST maio 2000), PSK31 continua a empurrar as comunicacoes digitais em HF em novas e excitantes direções. Novos recordes de microondas estao sendo conquistados, apenas para serem quebrados. Inovadores em APRS estao encontrando novas e intrigantes aplicacoes para a sua ferramenta.

Nao precisa de uma floresta de antenas para explorar qualquer um desses caminhos. Novos mundos no radioamadorismo estao ao alcance de praticamente todos.

Se voce é um "radioamador de verdade", o que está esperando?

David Summer, K1ZZ

---8<---Corte Aqui---8<---

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Posse da nova Direção Estadual da Labre/ES.


Convocação

A Direção da Labre/ES convoca o Conselho Estadual e Diretoria Executiva eleitos, para a POSSE, que será realizada no dia 06 de dezembro de 2008 (sábado), ás 09:00 horas, na sede da Labre-ES, no Centro de Vitória/ES.

Todos os radioamadores estão convidados para participar da solenidade de Posse dos eleitos.


Vitória, 03 de dezembro de 2008.


Jânio Batista – PP1 YX – Interventor
Ray Lande do Nascimento – PU1 ARY - Interventor

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

E-mail da Rener/Nacional


Candeias...


Grato pela informações e ciente de que a Defesa Civil Estadual não necessitou do auxílio da RENER porque a situação está sob controle.


Parabens pela campanha de arrecadação de alimentos e roupa. Não é RENER mas são os Radioamadores trabalhando para a sociedade.


Sucesso para a nova administração da LABRE-ES, na certeza que o radioamadorismo voltará ao lugar de onde nunca deveria ter saído.


PT2PC Paulo Cesar

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Recebimento de donativos - CBMES


Na tarde desta sexta-feira (28) o Corpo de Bombeiros Militar recebeu um carregamento de 360 colchões, provenientes da Bahia, que foram enviados pela Secretaria Nacional de Defesa Civil. Este carregamento faz parte de um total de donativos, que compreende 2 mil colchões e material de limpeza, que será utilizado na limpeza das residências tomadas pelas enchentes.

A ajuda às pessoas atingidas pelas chuvas será realizada pela Secretaria de Trabalho, Assistência e Desenvolvimento Social (Setades) a partir das listagens encaminhadas pelos municípios à Coordenadoria Estadual Defesa Civil (Cedec), que analisará as situações especiais.

As pessoas que quiserem ajudar os atingidos pelas chuvas aqui no Estado podem fazer suas entregas na sede das unidades do Corpo de Bombeiros Militar. A prioridade, nesse momento, é para alimentos de fácil preparo e não perecíveis.
Podem tambem faver doações em Vila Velha: Escola João Calmom, no Parque das Gaivotas.

Boletim do Corpo de Bombeiros/Defesa Civil - ES


O Corpo de Bombeiros divulgou, no início da tarde deste sábado (29), que em virtude das fortes chuvas, em todo o Espírito Santo há 2.005 pessoas desalojadas, 236 desabrigadas e 55 residências notificadas por estarem em área de risco.
Os eventos que mais demandam os serviços do Corpo de Bombeiros são os de casas danificadas, com 1.050 casos; deslizamentos, com 152, quedas de muros, com 46, e de árvores, com 121. Além disso, foram realizadas 76 vistorias em locais de risco, principalmente no município de Serra, com 70 delas.
O número de decretações de situações de emergência subiu para dez nesta sexta-feira (28). Os municípios são Iconha, Vargem Alta, Baixo Guandu, Domingos Martins, Marechal Floriano, Guarapari , Vila Velha, Itapemirim, Pancas e Água Doce do Norte.
Os municípios mais atingidos pelas chuvas são Vila Velha, com 375 casas danificadas; 800 desalojados e 25 desabrigados; Iconha, com sete mil pessoas afetadas com algum tipo de prejuízo provocado pelas chuvas e 400 km de estradas danificadas, impedindo o escoamento da produção agrícola; Serra, com 168 desalojados e 53 desabrigados; Viana, com 69 desalojados e 41 desabrigados; Água Doce do Norte, onde estão 204 desalojados e 73 desabrigados, além de Cachoeiro de Itapemirim, com 464 desalojados.

domingo, 30 de novembro de 2008

AOS RADIOAMADORES DO ESPIRITO SANTO

Candeias PP1 JE e Werther PU1 BRA, eleitos para a Diretoria Executiva da LABRE/ES, vem a público, agradecer aos radioamadores do Espirito Santo o apoio para a reorganização de nossa Liga.
A Coordenação e Comissão Eleitoral, nossos parabens, pelo eficiente trabalho desde o ínicio até o encerramento do processo eleitoral.
Vamos a luta.
"A Labre é a casa do radioamador"

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

BOLETIN DEFESA CIVIL DE SC

BOLETIN DEFESA CIVIL DE SC
07:24h Dia 26 Nov 08

Registro de 54.039 desalojados e desabrigados, sendo 22.952 desabrigados e 31.087 desalojados. São 84 mortes e 30 desaparecidos confirmadas e mais 1.500.000 afetados. oito municípios isolados - sendo 97.680 pessoas (São Bonifácio, Luiz Alves, São João Batista, Rio dos Cedros, Garuva, Pomerode, Itapoa e Benedito Novo). Soledad - 4009 9885 - 8843 3695 - Na Defesa Civil SC. Fotos e notícias gerais no site do Governo do Estado: www.sc.gov.br/webimprensa.

DEFESA CIVIL ABRE CONTA CORRENTE PARA RECEBER DOAÇÕES

Banco do Brasil – Agência 3582-3, Conta Corrente 80.000-7 / Besc – Agência 068-0, Conta Corrente 80.000-0. O / BRADESCO S/A - 237 Agência 0348-4, Conta Corrente 160.000-1 nome da pessoa jurídica é Fundo Estadual da Defesa Civil, CNPJ - 04.426.883/0001-57.


NOTÍCIAS

Defesa Civil abre conta corrente para receber doações

A Defesa Civil catarinense abriu no final da tarde desta segunda-feira (24) duas contas bancárias para receber doações em dinheiro para ajudar as pessoas atingidas pelos desastres naturais. Os interessados em contribuir podem depositar qualquer quantia nas contas: Banco do Brasil – Agência 3582-3, Conta Corrente 80.000-7; ou Besc – Agência 068-0, Conta Corrente 80.000-0; BRADESCO S/A - 237 Agência 0348-4, Conta Corrente 160.000-1. O nome da pessoa jurídica é Fundo Estadual da Defesa Civil, CNPJ - 04.426.883/0001-57.Todo dinheiro arrecado será utilizado para compra de mantimentos para os desalojados.

terça-feira, 25 de novembro de 2008

REDE DE EMERGÊNCIA DE RADIOAMADORES


Informamos que a Rede de Emergência de Radioamadores em apoio a Defesa Civil de Santa Catarina está operando nas seguintes frequências:
7.054/7.055 - coordenada por PY3ZT - Carlos.
3.750 - coordenada por PP5GN - Alberto.

Na região de Blumenau em VHF:

- 146.550 - (simplex)
- 145.230 - (repetidora com sub-tom de 88,5) - coordenada por PP5DIG - Guilherme

Telefones da Defesa Civil:
(0xx48) 3244-0600 - 9009-9816 - 4009-4817

Informou:
Amauri Toccolini Felski - PP5BB
Presidente da LABRE-SC
Fone: (0xx48) 9957-2422

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Arrecadação de Mantimentos e Roupas para os desabrigados pela Chuva


Atenção amigos radioamadores,


em face à difícil situação das famílias desalojadas e desabrigadas pela chuva no Espírito Santo e em Santa Catarina solicitamos que sejam doados mantimentos e roupas que deverão ser entregues neste sábado durante as eleições da LABRE-ES e remetidas para a Defesa Civil Estadual.


Agradecemos o apoio de todos neste momento difícil para a população.

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Da lista "contra-plc" por Julio, PT2JC

Caros colegas,

Inicialmente, informo que em razão de um compromisso familar logo após á reunião (casamento de prima de minha esposa) não foi possível notificá-los de pronto dos resultados da reunião. Minha intenção era fazê-lo logo cedo, já que tive que acordar cedo para redigir o QTC da LABRE-DF. Todavia, por ter dormindo tarde, não
consegui redigí-lo a tempo e tive que fazê-lo ao vivo e a cores com base em minha anotações (já que o tema era a reunião).

Assim, acabei de redigir o documento que levo ao conhecimento dos colegas da lista. Talvez tenha alguns pontos que eu possa ter esquecido ao redigi-lo, porém, ao longo dos comentários se lembrar, abordarei.

Acerca da reunião ocorrida na sede da Anatel, tenho a relatar o que segue:

A reunião foi presidida pelo Engenheiro Marcos Sousa de Oliveira e contou, ainda, com a participação da Engenheira Diana.

Estavam presentes Eu, representando a LABRE-DF, o Presidente da LABRE Nacional, juntamente com o Diretor de Radioamadorismo e mais uns mais 7 radioamadores, além de uma Tenente da Aeronáutica
Engenheira de Telecomunicações. Lembro que a LABRE-DF em seu QTC e em seu sitio estendeu o convite a todos os RA. Escrevi o texto no word, e agora vejo que alguns elementos gráficos se foram. Assim o resumo está blocado por tópicos. Do resultado da reunião extraímos os seguintes pontos que me pareceram relevantes:

>>>porque da regulamentação do BPL<<< 
A abertura dos estudos para a regulamentação do BPL teriam tido por base demandas provenientes dos seguintes setores: Setor Elétrico com o advento dos chamados "smart grid" (redes elétricas inteligentes) as Empresas fornecedoras de Energia Elétrica viram nascer uma possibilidade de serviço adicional a ser oferecido a seus usuários. Cidadão vem demandando acesso à banda larga, inclusive, em regiões remotas; tem visto a necessidade de novas alternativas de acesso. Setor Público deseja promover a inclusão digital; deseja agregar valor ao programa "Luz para todos" por meio do provimento de banda larga. Este programa tem como público alvo dez milhões de pessoas. Ademais a Anatel já vinha acompanhando a muitos anos o desenvolvimento do BPL. Outra justificativa apresentada foi que os sistemas sem fio, possivelmente, não chegarão aos locais mais remotos por questões econômicas, enquanto a infra-estrutura elétrica já está à disposição, o que dispensaria a necessidade de novos cabeamentos. Chamo atenção, no entanto, que apesar da justificativa acima, não haverá limitações para que o serviço seja prestado somente nestes locais, ou seja, poderemos, e provavelmente veremos, o BPL nas grandes cidades, notadamente nos condomínios e aglomerados urbanos. 

>>>Implantação do sistema<<< 
Outro ponto que ficou patente é que o serviço será, cedo ou tarde, autorizado, posto tratar-se de decisão de Governo.

 >>>Sobre a consulta Pública<<< 
Na avaliação do Eng. Marcos, as participações teriam sido favoráveis à proposta de resolução, ou seja, pela aprovação do serviço. No entanto, segundo a Eng. Daiana, os fornecedores e os potenciais provedores de serviço teriam se manifestados no sentido de que a proposta é muito restritiva, pelo que entendem que a Anatel deveria adotar as regras utilizadas na União Européia – segundo entendi, a referida norma não traz maiores restrições, prevendo apenas que os casos de interferência seriam tratados de maneira específica, caso a caso. Por outro lado, restou claro na Consulta que, na visão dos Radioamadores, a proposta não atende seus interesses. Perguntada sobre o motivo pelo qual a Anatel adotou como referencial a Norma Americana, que segundo colegas é menos restritiva que de outros países, a mesma informou que os trabalhos levaram em considerações discussões realizadas em forum internacionais e a norma da União Européia, além da Americana. Sobre a disponibilização dos estudos técnicos por ocasião da consulta pública, a Eng. Daiana nos informou que os documentos produzidos possuem informações específicas dos equipamentos que
estariam cobertas por sigilo (comercial), motivo pelo qual não estão, em princípio, à disposição.
Neste sentido, reiterei o pedido de vistas já apresentado pela LABRE-DF, até porque não se vislumbra a hipótese de que um serviço público seja regulamentado com base em estudos confidencias.
Observei à Eng. Daiana que a própria Constituição Federal e a Lei Geral de Telecomunicações, prevê como princípio a publicidade. A mesma, enfatizou, no entanto, que não cabe a ela o poder de decisão
sobre o tema. As análises das contribuições à Consulta Pública nº 38 ainda não foram concluídas. Assim, alterações na proposta de resolução ainda podem ocorrer.

>>>Em relação aos testes<<< 
Inicialmente foi informado que os mesmos utilizaram a metodologia de ensaio da FCC e da UIT. Teriam participado dos testes o CPqD, instituto de pesquisa privado; a Anatel e a Aptel, além dos fornecedores de tecnologia e as empresas elétricas. Ainda segundo a Eng. Daiana, estudos teriam sido realizados pela Universidade Federal de Juiz de Fora, sob a condução do Professor Moisés Ribeiro. Os primeiros estudos foram realizados em 2006, em Goiânia, com o emprego da tecnologia de 1º Geração nas linhas de baixa tensão. Estes testes identificaram a impossibilidade de implantar o sistema, em razão de sua deficiência de rendimento e problemas de interferências. São sistemas que não possuem recursos de alteração de parâmetros e emprego de filtros e controles remotos. Segundo a Eng. Daiana, os estudos demonstraram que o uso do BPL se mostrou viável na ponta do sistema de banda larga, ou como dito, "na última milha". Isso em razão das perdas de potência de sinal verificadas no sistema e ainda em razão dos transformadores. Ou seja, o BPL seria usado como meio condutor do sinal de internet entre, no máximo, as subestações e as residências. Para o sinal chegar até as subestações seriam utilizadas os backbones já existentes (20 mil Km de redes de fibra óticas, enlaces via satélite, micro ondas etc). Ainda, segundo a Eng. Daiana, foi com base nestes estudos de 2006 que se produziu o documento utilizado pelos RA na Consulta Pública para justificar o entendimento de que a própria Anatel reconhecia que o sistema provocava interferências. Como dito, de fato naquela ocasião, o sistema não se mostrou adequado à operação. Em 2007 foram realizados novos testes, agora com o uso, também, de equipamentos de 2º Geração. Estes estudos foram realizados em Campinas-SP pelo CpqD e, posteriormente, até 2008 no Rio Grande do Sul, bairro da Restinga onde o sistema está ativo. Esses estudos teriam demonstrado que os equipamentos de 2º geração possuem recursos de filtro e de configuração remota que possibilitam solucionar os eventuais problemas de interferência identificados, de forma imediata, sem solução de continuidade do serviço de BPL, além de apresentarem melhor performance para o usuário. Segundo pude compreender, foi com base nestes estudos é foram fixados os parâmetros como os níveis de potência máximos a ser injetado na rede, a natureza dos filtros notch, os níveis de irradiação indesejados contidos na proposta de resolução. Objetivamente sobre os estudos, pouco de técnico foi dito. Apenas forma apresentados alguns gráficos onde se buscava demonstrar que os níveis do sinal do BPL na configuração proposta na regulamentação, ficaram abaixo de outros sinais existentes nas frequências utilizadas. Apresentaram, ainda, um gráfico do resultado do uso dos filtros notch. Ainda em relação aos testes, o Engenheiro Marcos respondendo a uma pergunta, observou que, de modo geral, o uso das instalações elétricas existentes (prediais, condomínios etc) nem sempre se mostraram viáveis, tendo em vista problemas de instalações. Assim, em dadas situações a melhora de condições só se dará com a substituição das redes existentes. Outro ponto importante acerca dos testes realizados em Goiânia e Rio Grande de Sul e enfatizados pela Eng. Daiana, é que as Forças Armadas, Forças de Segurança e até os Radioamadores teriam sido convidados a participar. Segundo a Eng. Daiana, nos testes realizados no RS um radioamador teria participado do primeiro dia, não tendo retornado no outro, quando foram feitos os testes de campo. Neste sentido,enviei e- mail à LABRE-RS (endereço constante do sitio) solicitando a confirmação do convite e da participação, porém até a presente data não obtive resposta. Segundo informado, os representantes das Forças Armadas e as de Segurança participantes não teriam identificado problemas de interferência em seus serviços, durante os aludidos testes. Perguntado diretamente sobre a possibilidade de interferência nos serviços de RA a resposta foi: DEPENDE DAS CIRCUNSTÂNCIAS, ou seja, se reconhece que em determinada circunstância ela irá ocorrer. No entender do Eng. Marcos, com a implantação do sistema será possível aprimorá-lo, bem ainda, a normatização, posto que nem todos os aspectos são passíveis de reconstituição nos ambientes de teste. 

>>>Forças Armadas<<<
 Sobre as Forças Armadas, a informação da Anatel é que, após um período de oposição à implantação do sistema, as Forças Armadas já não se opõem ao mesmo, uma vez que as medidas propostas na Regulamentação salvaguardariam os seus interesses. Em razão da confidencialidade de algumas frequências utilizadas pelas Forças Armadas, optou-se por criar as chamadas Zonas de Proteção (art. 10), bem como a medida proposta no art. 12 A alegação é de que não se poderia, de antemão, estabelecer as freqüências em uso, logo configurar o sistema BPL para evitar interferências.

 >>>Faixas de exclusão prevista no art. 9º da proposta de Resolução<<< 
A propósito da lista de frequência contida no art. 9º da proposta de resolução, a Eng. Daiana informou que em relação aos serviços aeronáuticos, as frequências foram indicadas pela própria Aeronáutica. Quanto as frequências do serviço de RA, a Engenheira informou que a LABRE foi consultada, mas não indicou frequências específicas a serem inclusa, tendo proposto a inclusão de todas aquelas destinadas ao Serviço. Sobre a questão, o Presidente da LABRE, justificou a medida afirmando que não haveria motivos para abrir mão da proteção para algumas das frequências, considerando o fato de que a Regulamentação nos outorgou o conjunto delas. Neste sentido, os presentes deixaram claro a necessidade de salvaguardar todas as frequências destinadas ao radioamadorismo. Todavia, na visão da Anatel, a lista prevista no art. 9º teria por objetivo precípuo ampliar as salvaguardas, apenas, das frequências de maior importância e não de todas as frequências, sob pena de não haver como implementar o serviço, já que o espectro de RF está todo ocupado por serviços primários. Não por outro motivo que apenas as frequências destinadas a comunicação em vôo foram incluídas pela Aeronáutica. Alegou-se, ainda, que, legalmente, apenas as Forças Armadas possuem a exclusividade de frequências. Nos demais casos o uso deve ser compartilhado, observado a natureza primária ou secundária do serviço. Consultando a referida lista, observa-se que apenas as bandas de 160,80 e 17 metros não foram incluídas. Em conversa mantida com a Eng. Daiana, lembrou-se a ela, inclusive, a importância da banda de 80m para os RA classe "C", o que a fez anotar o fato.

 >>>Fiscalização Anatel<<< 
A deficiência da fiscalização da Anatel foi apontada, enfatizada, reiterada e reclamada várias vezes ao longo da reunião pelos presentes. Foi dito, redito, falado, que a falta de eficiência e eficácia da fiscalização da Anatel, figura como um dos fortes fatores de preocupação à regulamentação do BPL. Deixou-se claro o temor que, em havendo interferência, nós, mesmo na condição de usuários primários, seremos a parte frágil da relação Anatel - empresa provedora. Não sendo desarrazoado portanto acreditar que não teremos nossas reclamações levadas a efeito de imediato, como propõe a regulamentação. São os fatos ao longo do tempo que nos conduziram a tal conclusão. Sobre a regularização das eventuais interferências, argumentou-se que a criação do banco de dados públicos a que se refere o art. 13, permitiria a rápida identificação do provedor de acesso e de seus canais de comunicação.

 >>>Modelo de Negócio do PLC<<< 
Foi dito pelo Eng. Marcos que ainda não é conhecido o modelo de negócio que será utilizado pelas empresas. Segundo ele, há operadoras do sistema elétrico que não estão, no momento, interessados no serviço BPL, há outras que irão explorá-lo diretamente, e ainda, outros que apenas locará sua rede para outra empresa prover o serviço. >>>Sobre o temor dos RA<<<>

>>>Sobre os equipamentos homologados<<<
 Sobre o tema, foi informado que os equipamentos já homologados são de uso indoor. Esses equipamentos foram testados pela Anatel quanto ao atendimento dos requisitos contidos nas Res. 442 e 238 e uma vez homologados são de livre uso. Esse serviço indoor não está sujeito a autorização prévia a exemplo do Wi fi, bluetooth, talk about, telefone sem fio, mas os equipamentos devem ser homologados. 

>>:Finalizando<<<
 Bom não sei se consegui "capturar" e compreender tudo o que foi dito na reunião, todavia, a mesma teve o caráter meramente informativo, ou seja, não se discutiu propostas, não se apresentou alternativas, apenas nos foi dado conhecer alguns pontos que a Antel entendeu importante. Apesar de a reunião ter sido conduzida por 2 Engenheiros, não foram tratados assuntos de natureza técnico- científico, nem tão pouco a palestra se aprofundou na parte técnica. Ao longo das discussões, ficou claro o posicioamento de todos os RA presentes quanto as nossas preocupações e a intenção de lutar pela garantia de nossa recepção, logo pela continuidade dos serviços. Observo que foi lavrada uma ata, cujo conteúdo está sendo passado a limpo e após revisado pelos presentes, será assinada. Outrossim, informo que, tão logo receba por e-mail o arquivo com a apresentação, a disponibilizarei para todos. Mesmo reconhecendo a validade da reunião, não foi possível se livrar do "fantasma" BPL, razão pela qual, devemos nos manter unidos e vigilantes. Por fim, observo que irei remeter por e-mail as perguntas propostas na Lista para que Eng. Daiana para que ela possa respondê- la, com mais calma. Para algumas, a resposta está contemplada no presente texto.

73 Julio - PT2JC

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Packet Radio em 145600

145600 façam o teste em Packet Radio.

Beacon, BBS e Digipeater ligados.

Identify em CW!

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Radioamadorismo coisa do passado?

Radioamadorismo coisa do passado?

Recebi recentemente alguns e-mails de colegas tecnólogos perguntando
se a Tecnociência não está retrocedendo ao adotar o radioamadorismo
como atividade, tendo em vista, que esta é uma prática totalmente
ultrapassada?
Este questionamento me pareceu bem interessante e convido você para
pensar junto comigo sobre este tema.

Para esclarecer esta questão gostaria de salientar a diferença entre
tecnologia ultrapassada e prática ultrapassada, ou ainda, evolução
tecnológica e prática tecnológica, me parece que existe uma confusão
no discernimento sobre estes dois tópicos. 

Quando os primeiro navegadores marítimos (marinheiros) iniciaram suas
viagens, eles contavam com meia dúzia de tecnologias que nada mais
eram que simples instrumentos de madeira, no decorrer da evolução
tecnológica tais instrumentos forma tornando-se ultrapassados e
substituídos. Esta substituição é que chamamos de evolução tecnológica. 

No entanto, ainda hoje, aqueles que navegam são chamados de
marinheiros e a prática de navegação não mudou, segue inalterada,
ainda batizamos as embarcações com uma garrafa, os nomes são os
mesmos, "capitão", "marujo" e também os termos técnicos são idênticos. 

Observe que a tecnologia sempre evolui e torna-se ultrapassada, mas a
prática tende a não mudar em sua essência e quando isso ocorre
chamamos de tradição. É a tradição marítima que determina certas
características na prática de navegação.

O exemplo acima também se aplica em todas as demais áreas tecnológicas
incluindo o radioamadorismo, onde a prática tecnológica possui sua
tradição independente da evolução tecnológica. Por isso é aconselhável
não confundir evolução tecnológica com evolução da prática tecnológica. 

O que fica ultrapassado não são as pessoas ou a prática tecnológica,
mas sim, a tecnologia em si. Confundir tradição com retrocesso é um
equivoco grave para um tecnólogo.

Quando um tecnólogo participa de uma lista de discussão por e-mail
como o yahoogrupos ou o googlegrupos, ele vai enfrentar as mesmas
dificuldades de comunicação que os primeiros radioamadores também
enfrentam. Interpretações equivocadas dos membros que acabam gerando
brigas, participantes indisciplinados que bagunçam e todas as demais
dificuldades, ocorrem da mesma forma que na época dos pioneiros.

Um tecnólogo que conhece a tradição possui maior desenvoltura para
solucionar os problemas já superados pelos pioneiros, o problema é que
ao esquecer da tradição, também se esquece das soluções já praticadas
pelos ancestrais, aqui corre o risco de um retrocesso.

Do radioamadorismo (primeiros grupos de estudos tecnológicos) evoluiu
a internet e com ela a tecnologia vem avançando, mas a prática de
comunicação continua igual à praticada pelos radioamadores, a única
diferença é que a tradição não foi mantida. Os problemas de
comunicação e as dificuldades ainda são os mesmos, como também os
marinheiros ainda entram no mar desafiando as mesmas forças naturais
que seus ancestrais.

A Tecnociência tem como objetivo promover o conhecimento tecnológico
através dos grupos de estudo, ou seja, através da prática iniciada
pela tradição radioamadora. Resgatar a tradição é um esforço que a
Tecnociência faz para prestigiar seus membros.

É por isso que pedimos aos membros para ingressarem no radioamadorismo
onde iremos trabalhar a tradição tecnológica em sua plenitude,
recuperando o "espírito" dos participantes através de grupos de estudo
tecnológico.

Engana-se aquele que acredita ser o radioamadorismo apenas uma
conversa entre pessoas através de um rádio, a tradição radioamadora é
voltada para grupos de estudo que na época só podiam se conectar para
estudar, através de rádios. Os equipamentos de rádios transmissores
eram apenas o meio para se atingir o objetivo do estudo tecnológico,
da promoção da amizade e ainda da prestação de serviços de apoio
social. Atualmente este meio é a internet.

Se você deseja ser um membro elite da comunidade, torne-se um radioamador
e venha para o Radioclube QTC da Tecnociência vivenciar e compreender
a tradição e a eficiencia destes grupos de estudos tecnológicos. 

Espero por você no Radioclube!
 
 
Forte 73'

Alex - PU4HUD
Alexsandro Dimas Brandão Hudson
Ponte Nova - MG - BRASIL
Latitude:     20º 24' 57" S     -     20.3958
Longitude:  42º 54' 32" O     -     42.875
Altitude:     402 Metros
Grid Locator: GG89no
Região: 2
Cq Zone: 11
Itu Zone: 15

domingo, 7 de setembro de 2008

Lei da Antena



ASSUNTO: PROJETO DE LEI N° 2.576, DE 2.000

Prezados Colegas,

Para quem não se lembra, tomamos conhecimento no ano passado, após já se encontrar quase na reta final para ser aprovado, do PL N° 2.576, de 2000, de autoria do Deputado Fernando Gabeira.

No mencionado projeto, constava no Art. 25°, a proposição da revogação da Lei n° 8.919, de 1994, conhecida por nós radioamadores, como a LEI DA ANTENA.

Preocupados, pois na época participamos ativamente, não só fazendo "lobby", no Congresso Nacional, com o apoio maciço de mensagens enviadas pelos colegas de todas as localidades, pedindo aos seus representantes, para aprovação da Lei, o que veio ocorrer uns quatro anos depois.

Sabedores que o PL N° 2.576, estava sendo encaminhado à Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, da Câmara e que o Deputado Colbert Martins-BA, tinha sido designado relator, pedimos uma audiência através do Dr. Garigham, nosso ex-colega e amigo do Deputado.

Na audiência, levamos a nossa preocupação ao Deputado, pelo que constava no Art. 25° e ele nos informou que ainda não havia recebido o projeto, mas disse que iria estudar com muito carinho, para eliminar esse artigo.

Saímos daquele encontro, com a segurança de que iríamos ser atendidos e passamos a solicitar, por email e nos nossos contatos diários, com vários colegas, a enviarem mensagens, não só para o ilustre Deputado, como para os seus representantes, no Congresso Nacional.

Fazendo uma pesquisa recente, para verificarmos o andamento do Projeto, ficamos alegres ao notarmos que no seu parecer, o Deputado Colbert retirou o citado artigo e foi aprovado por unanimidade , na Comissão e encaminhado, em 26.03.08, ao Senado Federal.

Estamos enviando um ofício ao Nobre Deputado Colbert Martins, levando os nossos agradecimentos, pelo belíssimo trabalho, em defesa da nossa classe.

Gostaríamos que os colegas também enviasse mensagens, para o email do Deputado, manifestando a satisfação e agradecimento pela atenção que nos foi dada. dep.colbertmartins@camara.gov.br

Os interessados em saber o teor do parecer, entrem no portal da Câmara:(http://www2.camara.gov.br/proposicoes). Ao acessar, coloquem na janelinha número: 2.576 e no ano: 2000 e cliquem "Pesquisar". Mas abaixo, vão em PRL 1 CCJC (Parecer do Relator) Colbert Martins e cliquem no ícone. Na página 5, vejam o relato sobre o Art. 25° e na 17, Subemenda n° 11. Suprimam-se os arts. 7º, 8º, 9º , 25 e 26 do substitutivo em epígrafe, renumerando-se os demais.

Saudações Labreanas,

Antônio Severino da Silveira - PT2ZN
Diretor Executivo da LABRE

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

DIRETORIA DA LABRE NACIONAL É RECEBIDA NA ANATEL

Ontem, dia 03 de setembro de 2008, a LABRE Nacional, representada pelos radioamadores Gustavo Franco, PT2ADM, Presidente do Conselho Diretor; Antonio Severino da Silveira, PT2ZN, Diretor Executivo: Ricardo Favilla, PT2RY, Diretor Administrativo, e Orlando Perez Filho, PT2OP, Diretor de Radioamadorismo, foi recebida na ANATEL pelo Dr. Pedro Jaime Ziller, membro do Conselho e ex-Presidente daquela Agência.

A reunião aconteceu por solicitação da LABRE e foram tratados dois assuntos de extremo interesse do radioamadorismo brasileiro: exigência do CW nos exames de habilitação e a regulamentação do BPL sistema de acesso em banda larga.

Em relação ao primeiro tema, a LABRE foi alertada de que os procedimentos para ingresso e promoção no serviço de radioamador seriam alterados para corrigir uma falha em sua elaboração.

Ocorre que a Resolução nª 449, de17/11/2006, que regulamenta o Serviço de Radioamador, prevê, em seu artigo 33, a exigência de exame de CW tanto para classe “B” como para promoção para a classe “A”, fato não observado nos procedimentos, que estipulam prova de CW apenas para ingresso na classe “B” e isenta a promoção à classe “A” da matéria.

Procurando evitar que o exame de CW volte a ser exigido nos exames de promoção à classe “A”, a LABRE solicitou que a ANATEL abra consulta pública objetivando a alteração da Norma no que se refere a exigência de CW nos exames para radioamador, sendo avaliada a completa extinção da exigência (tendência mundial) ou, pelo menos, a liberação para a ingresso/promoção à classe “B” e manutenção do exame de CW na promoção à classe “A”

Quanto à regulamentação do sistema de acesso em banda larga, conhecido como BPL ou PLC, a LABRE levou a preocupação dos radioamadores quanto às interferências que poderão ser causadas às radiocomunicações, notadamente em nossas faixas de 160, 80 e 40 metros.

Nesse tópico o Sr. Conselheiro foi muito franco e disse que entende a posição da LABRE, mas deve-se levar em conta o interesse maior da Nação, já que a implantação do BPL deverá possibilitar a inclusão digital de toda uma população de brasileiros, hoje desassistidos quanto ao acesso à internet.

O Dr. Pedro acredita que a nova geração BPL (a terceira) não tem os problemas demonstrados anteriormente e que as opções de acesso hoje existentes nos grandes centros farão com que a tecnologia seja utilizada apenas nas regiões mais remotas.

Disse, ainda, que a LABRE e os radioamadores devem participar da consulta pública não apenas discordando de um ou vários aspectos, mas enviando colaborações com fundamentação, seja ela técnica, social ou outra, que ofereçam subsídios reais ao julgamento da causa.

Considerando que para algumas de nossas faixas não há sequer previsão de proteção, o assunto é preocupante e a LABRE está preparando argumentação para fazer frente à consulta. Solicitamos a todos os colegas que nos enviem contribuições sobre os diversos itens e, também, não deixem de manifestarem-se pessoalmente, entrando no site da Anatel e participando da consulta pública

sábado, 30 de agosto de 2008

Texto da Consulta Pública da ANATEL sobre o BPL/PLC

CONSULTA PÚBLICA No 38, DE DE AGOSTO DE 2008

Proposta de Regulamento sobre Condições de Uso do Sistema de Acesso em Banda Larga utilizando Rede de Energia Elétrica.

O CONSELHO DIRETOR DA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES, no uso das atribuições que lhe foram conferidas pelo art. 22 da Lei no 9.472, de 16 de julho de 1997, e art. 35 do Regulamento da Agência Nacional de Telecomunicações, aprovado pelo Decreto no 2.338, de 7 de outubro de 1997, e considerando o constante dos autos do processo no 53500.017793/2008, deliberou em sua Reunião no 491, realizada em 21 de agosto de 2008, submeter a comentários e sugestões do público em geral, nos termos do art. 42, da Lei no 9.472, de 1997, a Proposta de Regulamento sobre Sistema de Acesso em Banda Larga utilizando Rede de Energia Elétrica.

Na elaboração da proposta levou-se em consideração:

1) os termos do artigo 157 da Lei no 9.472, de 1997, segundo o qual fica estabelecido ser o espectro de radiofreqüências um recurso limitado, constituindo-se em bem público, administrado pela Agência;

2) a necessidade de se estabelecer regras que permitam a convivência harmônica entre sistemas que compartilham faixas de radiofreqüências;

3) os estudos realizados no âmbito da Anatel, referentes a radiações indesejadas causadas por Sistemas de Acesso em Banda Larga utilizando Redes de Energia Elétrica (BPL) na faixa de radiofreqüências de 1,705 MHz a 50 MHz;

4) a necessidade de acompanhar a evolução tecnológica, permitindo que novas tecnologias sejam utilizadas em benefício da sociedade;

5) o dever do Poder Público de estimular a expansão do uso de redes e serviços de telecomunicações;

6) o interesse do setor elétrico em utilizar a infra-estrutura já instalada para prover serviços de telecomunicações.

7) o potencial dos sistemas BPL para promover a inclusão digital e o aumento da inteligência das redes de energia elétrica.

Como resultado da presente Consulta Pública, a Anatel pretende:

I – publicar o Regulamento sobre Sistema de Acesso em Banda Larga utilizando Rede de Energia Elétrica.

II – estabelecer que atualizações quanto ao centro das zonas de proteção e exclusão de estações terrestres definidas no Anexo II e III deste Regulamento, quando solicitadas pelas Forças Armadas e/ou Órgãos de Segurança, serão realizadas por ato da Superintendência competente para tratar da administração do uso do espectro de radiofreqüências, e disponibilizadas na página da Anatel na Internet.

O texto completo da proposta em epígrafe estará disponível na Biblioteca da Anatel, no endereço abaixo e na página da Anatel na Internet, a partir das 14h da data da publicação desta Consulta Pública no Diário Oficial da União.

As manifestações fundamentadas e devidamente identificadas devem ser encaminhadas exclusivamente conforme indicado a seguir, preferencialmente, por meio do formulário eletrônico do Sistema Interativo de Acompanhamento de Consulta Pública, disponível na página da Anatel na Internet no endereço http://www.anatel.gov.br, relativo a esta Consulta Pública, até às 24h do dia 29 de setembro de 2008, fazendo-se acompanhar de textos alternativos e substitutivos, quando envolverem sugestões de inclusão ou alteração, parcial ou total, de qualquer dispositivo.

Serão também consideradas as manifestações encaminhadas por carta, fax ou correspondência eletrônica, recebidas até às 18h do dia 25 de setembro de 2008, para:

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES

SUPERINTENDÊNCIA DE RADIOFREQÜÊNCIA E FISCALIZAÇÃO

CONSULTA PÚBLICA No 38, DE 25 DE AGOSTO DE 2008

"Proposta de Regulamento sobre Sistema de Acesso em Banda Larga utilizando Rede de Energia Elétrica".

Setor de Autarquias Sul - SAUS – Quadra 6, Bloco F, Térreo – Biblioteca

70070-940 – Brasília – DF

Fax: (61) 2312-2002

e-mail: biblioteca@anatel.gov.br

As manifestações recebidas merecerão exame pela Anatel e permanecerão à disposição do público na Biblioteca da Agência.

RONALDO MOTA SARDENBERG

Presidente do Conselho

BPL/PLC sob Consulta Pública na ANATEL

Caros Amigos,

Está sob consulta pública o famigerado BPL (Broad Band over Power Lines) /PLC (Power Line Communication). Digo famigerado porque em todo o mundo os radioamadores protestaram e se colocaram contrários à implantação deste sistema. Destaque para a ARRL, que teve que ir à corte suprema contra o sistema: e ganharam.

Não é para menos! O tal BPL/PLC utiliza as linhas de energia elétrica como "cabos" para o tráfego de dados. Em blocos de frequências entre de 1,705 MHz a 50 MHz. A uma velocidade de até 200 MBps! Espantoso! O problema é que esqueceram de mostrar para a sociedade que ao trafegar na rede elétrica estes impulsos geram espúrios fortes e inconsequentes ao éter em cima de quais faixas? Tentem imaginar?

Este é um vídeo que mostra bem o estrago causado pelo BPL/PLC:

video

Aí o radioamador dirá: Tá tudo acabado! Apesar da ANATEL emitir parecer sobre o tal BPL/PLC enfatizando os problemas relacionados a espúrios que o sistema causaria, não teve peito de barrar o Lobby a favor. Sabem como é: Multinacionais... País Emergente... O Governo nem se posiciona a respeito, deixa rolar. A ANATEL faz como Pilatos: lava as mãos e coloca sob consulta pública o tal sistema. E agora? Jesus ou Barrabás?

Caberá a quem nos defender? A LABRE? A IARU? Os Clubes de Radioamadores? Entendo que eles cumpririam um papel importante no tocante à nossa representatividade. Podem emitir pareceres técnicos mais apurados. Mas nós radioamadores temos que dar peso a isso: mostrando a nossa insatisfação, nos colocando contrários ao sistema. Porque não, abaixo-assinados, contatos com deputados em Brasília, manifestações. Afinal é o HF e o início do VHF que estamos perdendo!

Mobilize o grupo do qual é integrante. Discuta sobre o assunto. Exponha seu pensamento e sua indignação. A mídia está repleta de propaganda pró-BPL/PLC. Ajude o seu próprio Hobbye!

O link para a Consulta Pública é:

http://sistemas.anatel.gov.br/SACP/Contribuicoes/TextoConsulta.asp?CodProcesso=C1199&Tipo=1&Opcao=andamento#

Contribua em favor daqueles que iniciaram, despretenciosamente, quase tudo em termos de Rádio Frequência: os Radioamadores!

Renan de Almeida - PU1ARE
Estação RENER Coordenadora Estadual do Espírito Santo
Grupo Expedicionários Capixabas em Rádio Emissão
Pró-LABRE-ES

segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Radioamadores usam comunicação para enfrentar trânsito de SP

Com aparelhos nos veículos, eles trocam informações sobre lentidão.
Conheça um pouco mais sobre esse hobby.
Luciana Bonadio/G1
Foto: Luciana Bonadio/G1
José Alberto Julio mostra equipamento instalado dentro de carro (Foto: Luciana Bonadio/G1)

Os radioamadores usam a comunicação para enfrentar os longos congestionamentos na capital paulista. Com aparelhos para operação móvel instalados nos veículos, alimentados pela bateria do carro, eles trocam informações sobre pontos de lentidão na cidade. Mas, caso as filas sejam inevitáveis, o rádio ajuda a passar as horas ociosas dentro do veículo.

“Saindo do escritório, essa uma hora e meia no trânsito passa muito rápido. É um horário que estou utilizando o rádio para conversar com o pessoal da Europa”, diz o engenheiro elétrico José Alberto Julio, de 43 anos, presidente da Liga de Amadores Brasileiros de Rádio Emissão (Labre-SP). Ele trabalha na Lapa, na Zona Oeste de São Paulo, e mora na Zona Leste.

O rádio ajudou o vice-presidente da entidade, o comprador José Armando de Macedo Soares Júnior, de 29 anos, a fugir da lentidão na época dos ataques promovidos pela quadrilha que age a partir dos presídios de São Paulo. No dia 15 de maio de 2006, os paulistanos, com medo, saíram mais cedo do trabalho, o que travou o trânsito. “Todo mundo estava preso no trânsito e eu cheguei na minha casa em 40 minutos”, lembra.

O microempresário João Roberto de Almeida, de 42 anos, é radioamador desde 1978 e também conta com os equipamentos para fugir da lentidão. “Eu tenho rádio e a gente usa para ter informações de trânsito. E também temos um passatempo para enfrentar esse trânsito maluco”, conta. De acordo com o vice-presidente da Labre-SP, há cerca de 3.200 radioamadores na capital paulista – mas nem todos têm o equipamento no carro.

Regulamentação
Foto: Luciana Bonadio/G1
Luciana Bonadio/G1
José Armando fala de estação instalada dentro da Labre, em São Paulo (Foto: Luciana Bonadio/G1)

Mas não pense que é só instalar equipamentos de rádio no carro e sair falando. Um radioamador precisa de uma licença – e muito conhecimento - para operar a estação. O Certificado de Operador de Estação de Radioamador (COER) é obtido junto à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) por meio de um teste para comprovar que o interessado tem capacidade técnica para operar a estação de radioamador.

“O objetivo do radioamador é comunicar, aprimorando a capacitação técnica e conhecendo novos horizontes. É a janela para o mundo”, explica Julio. Na associação, há aulas que habilitam os interessados para os testes da Anatel. “Tentamos despertar a curiosidade do público para se tornar um radioamador. Para as pessoas não pensarem que a gente causa interferência na TV do vizinho”, afirma.

Entre as preocupações do radioamador está o uso adequado dos aparelhos. “Todo equipamento tem de atender a uma norma para não gerar interferência”, explica Julio. A licença da Anatel é dividida em três classes (A, B e C) e os radioamadores precisam respeitar as faixas de freqüência, tipos de emissão e potência permitidos à classe da certificação.

Pé de mexerica

Em tempos de internet, os radioamadores defendem essa comunicação, usada há muitas décadas. “A diferença é a parte de conhecimento técnico. Na internet, você entra e acaba falando com qualquer um. Já os radioamadores são pessoas de todas as camadas sociais que têm uma afinidade. Existe um gosto que não dá para explicar”, diz José Armando.

Julio, por exemplo, teve o primeiro contato com o radioamadorismo quando ainda era adolescente, e o pai trocou o videogame dele por um rádio. “Aos 15 anos, eu montei uma antena, pendurei no pé de mexerica da minha avó e o primeiro contato que fiz foi com Fortaleza”, lembra. Conhecer pessoas de lugares muito distantes é uma das paixões do radioamador. “Você vai estudando, se alimentando com aquelas informações”, afirma, dizendo que aprendeu inglês, espanhol, italiano e francês com o rádio.

Foto: Luciana Bonadio/G1
Luciana Bonadio/G1
Detalhes de equipamentos usados pelos radioamadores (Foto: Luciana Bonadio/G1)

As histórias dos radioamadores têm um ponto em comum: eles conheceram esse tipo de comunicação muito cedo. O administrador de empresas Antônio Nikola, de 35 anos, começou em 1987, quando tinha 14 anos. “Meu pai tinha uma lancha em São Vicente [com um rádio] e aquilo me fascinou bastante. Eu fui me aprimorando no assunto. Até hoje continuo com minhas antenas, investindo em equipamentos”, lembra.

Ele conta que o rádio já permitiu a comunicação de familiares dele com parentes que estavam distantes. “Minha tia morava no Zaire e a comunicação por telefone era muito precária. Em 1992 ou 93, ela passou seis meses aqui e a gente usava diariamente para se comunicar com meu tio”, lembra.

Os radioamadores são muito procurados em todo o mundo durante tragédias e guerras – ocasiões em que a comunicação por telefone, por exemplo, costuma ser interrompida. O funcionário público Maurício Pitorri, de 39 anos, radioamador desde 1988, lembra um caso ocorrido há alguns anos.

“Ouvi um homem que estava desesperado porque queria contato com o Egito. Mas não conseguimos e os italianos tomaram conta da situação. Ele queria notícias da família. À noite, quando eu ligo a TV, vejo a notícia de que havia tido um terremoto no Egito”, conta.

Referência Bibliográfica:

INTERNET, Radioamadores usam comunicação para enfrentar trânsito de SP in http://g1.globo.com/Noticias/SaoPaulo/0,,MUL722707-5605,00-RADIOAMADORES+USAM+COMUNICACAO+PARA+ENFRENTAR+TRANSITO+DE+SP.html, capturado em 18/08/2008.

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Apoio da Labre Federal em prol da reorganização da Labre/ES.

Prezado Candeias,
P/colegiado de radioamadores do Espírito Santo

É com muita satisfação que tomamos conhecimento da reorganização da LABRE-ES.

Ao assumirmos a Diretoria Executiva da LABRE, procuramos saber através de alguns colegas do Espírito Santo, quem era o Presidente e o endereço para enviarmos correspondência, levando a nossa meta de trabalharmos juntos, em prol do radioamador. Infelizmente, remetemos dois ofícios e não conseguimos nenhum sinal de vida, por parte dessa entidade.

Vamos seguir de perto essa reorganização que você está comandando e conte com o nosso apoio.

Nesta semana, estamos indo a Maceió-AL, no casamento de uma neta, mas vamos aproveitar a oportunidade, na medida do possível, orientar os dirigentes da LABRE-AL, que como a maioria, estão passando dificuldades, pelos poucos sócios contribuintes.

Estamos aguardando da ANATEL um novo CD, com a relação atualizada dos radioamadores e as questões dos testes para a ascensão e promoção ao serviço de radioamador, de acordo com a nova norma, onde iremos preparar as apostilas, a relação de cada estado e enviar às LABREs.

Estamos com um ótimo relacionamento com a ANATEL, que está de portas abertas com a LABRE, sempre nos dando toda à atenção, nas reuniões que eventualmente solicitamos para tratar de assunto da nossa classe.

Ficamos aguardando novas notícias do andamento de seu trabalho e desejamos sucesso.

Saudações Labreanas,

Antônio Severino da Silveira - PT2ZN
Diretor Executivo da Labre/Federal

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

E a discussão está aberta

PF apreende equipamentos de radioamadores que interferiam na comunicação de trens

09/08/2008 |


Sabrina Craide
Agência Brasil

Brasília - Cerca de 20 equipamentos de radioamador foram apreendidos hoje (8) no município de Ourinhos (SP) pela Polícia Federal durante a Operação Linha Cruzada, que identificou a interferência na comunicação do sistema ferroviário local.

Segundo o delegado responsável pela operação, José Navas Jr., ninguém foi preso, porque não houve flagrante. “No momento que souberam da realização da operação, as rádios se comunicaram e todas se calaram”, explicou. Ele disse que a partir da próxima segunda-feira (11) as pessoas que tiveram equipamentos apreendidos serão ouvidas e, posteriormente, terão suas vozes analisadas pela perícia.

Gravações da Polícia Federal mostraram a interferência de radioamadores na operação de deslocamento dos trens e vagões que cruzam a área urbana da cidade de Ourinhos, prejudicando a comunicação entre os trens e a estação de controle. Pelo local, passam diariamente vagões com quase 500 mil litros de álcool combustível e outros 250 mil litros de materiais inflamáveis.

Segundo a PF, os infratores poderão responder pelo crime de operação ilegal de sistema de telecomunicação, com pena máxima de quatro anos, e pelo impedimento ou perturbação de serviço da estrada de ferro, com pena máxima de 12 anos, em caso de ocorrência de desastre.

As investigações contaram com a participação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e da equipe de segurança da empresa América Latina Logística (ALL).

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA:

INTERNET, PF apreende equipamentos de radioamadores que interferiam na comunicação de trens in http://www.fndc.org.br/internas.php?p=noticias&cont_key=273426, capturado em 11 de agosto de 2008.

------------------------------------------------------------------------------------------------

PF faz operação contra rádios piratas em Ourinhos

Equipamentos utilizados atrapalham a comunicação entre trens.
Durante três meses, polícia monitorou conversas e chegou a rádios.
Do G1, em São Paulo, com informações da TV Tem

Agentes da Polícia Federal e da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) realizaram nesta sexta-feira (8) uma operação em Ourinhos, a 318 km de São Paulo, para apreender equipamentos utilizados para atrapalhar a comunicação entre trens.

Uma denúncia feita por funcionários de uma concessionária dizia que rádios piratas estariam interferindo no sistema de comunicação que orienta o deslocamento dos trens, o que pode provocar acidentes.

Durante três meses, a Polícia Federal monitorou as conversas e localizou os equipamentos em três casas em Ourinhos, na chamada Operação Linha Cruzada. O material foi levado para perícia na sede da Polícia Federal em Marília, a 435 km de São Paulo. Pelas ferrovias de Ourinhos passam diariamente carregamentos de álcool combustível e outros materiais inflamáveis

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA:

INTERNET, PF faz operação contra rádios piratas em Ourinhos in http://g1.globo.com/Noticias/SaoPaulo/0,,MUL717009-5605,00.html, capturado em 11 de agosto de 2008.

sábado, 9 de agosto de 2008

Assembléia Geral Extraordinária de Radioamadores

Atenção Companheiros,

Aí está o resultado daquilo que tantos queriam: O Edital de Convocação para Assembléia Geral Extraordinária de Radioamadores.

Agora é prá valer! Precisamos do apoio e participação de todos neste processo.

Tudo foi feito sob à luz da democracia e do bom senso. Reuniões abertas a todos os radioamadores e amplamente divulgado.

Agora é começar a montar as chapas e colocar as mãos na massa!

E o Edital de convocação foi publicado no Diário Oficial do Estado do Espírito Santo!

Ta aí o comprovante de pagamento!

E as custas repartidas entre o grupo!

O Momento é de Participação!

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Echolink em 146600 MHz

Informamos a todos os radioamadores que o link PU1BRA-L, ligada à Conferência RENER-ES do Echolink se encontra na frequência de 146600 MHz.

Vale salientar que estávamos em fase de testes e depois de sabatinado em 146500 Mhz (QAP Habitual da Grande Vitória) demonstrou seus limites e suas possibilidades. Esta alteração também se dá ao fato de mantermos a harmonia entre os costumes dos radioamadores locais. Destacamos que, para o bom uso do sistema, é necessário um espaço de câmbio de três segundos por conta do delay do tráfego de dados pela internet.

Vale lembrar que esta conferência foi construída no sentido de possibilitar uma maior facilidade ao tráfego de informações para nosso Estado, podendo ainda auxiliar numa eventual situação de emergência ou pane de comunicações. Esperamos que façam bom proveito do sistema que é para todos sem distinção.

Diálogo: A Finalidade do Radioamadorismo

As últimas três semanas foram de verdadeiro bombardeio verbal nas frequências e pela Internet. E isso fica um clima ruim. Pega mal, enjôa e o pior: cria uma platéia inerte aos fatos, pois não opinam e nem apartem. Parecem esperar para ver o circo pegar fogo. Somos palhaços?

Não que o debate de idéias não seja interessante. Longe disso! O debate é importante para o nosso aprendizado, já que somos seres humanos, e portanto imperfeitos e inacabados. É através do debate que confrontamos nossas idéias com o novo, com o diferente e com o antagônico. E a partir daí, podemos aprimorar nosso conhecimento coletivamente construído.

Mas o que ocorreu por aqui foram colocações indevidas e impensadas. Pois não levavam em consideração a construção do presente, o caminho que percorremos até aqui. E o por quê das coisas.

Somos frutos do ambiente em que vivemos. E se chegamos onde estamos, parabéns a todos. Somos todos vencedores. Usamos todos os nossos limites e possibilidades para construir o presente. E são estas diferenças que precisamos respeitar.

Quando fazemos parte de um grupo (como o de radioamadores), temos que levar em consideração estas diferenças. Afinal, buscamos a união de um grupo que nada contra a corrente. O radioamadorismo está em diminuição horizontal, isto é, estamos perdendo número de radioamadores. Então devemos mais seguir os ensinamentos de Saint-Exupéry d´ O Pequeno Príncipe (o já batido) “Tu és responsável por aquilo que cativas”.

Afinal todos gostamos de rádio. Cada um ao seu jeito. Uns gostam mais de DX, outros de bate papo local, outros de pingue-pong. Echolink. CW. Tem gente que se regozija em apenas ouvir. Cada um tem seu modo.

Tem gente que tem computador, tem gente que não tem. Tem gente que é palitador, tem gente que não é. Tem gente que é aventureira, tem gente comedida. Tem gente que fala inglês, outros castelhano. Outros só português, outros nem isso. Uns são professores, outros médicos, vigias advogados, carreteiros, portuários, vendedores, operadores de trator, aposentados... E agora, José? Aqui no radioamadorismo estamos no mesmo patamar: radioamadores.

O que não podemos é usar de soberba, empáfia, tomar uma postura extrema ao ponto de ferir a boa conduta que o radioamadorismo tanto clama e se espelha. Tampouco devemos apenas deixar a água rolar, ou se omitir, tirar seu time de campo. Precisamos de posturas mais nobres e menos infantis.

Temos que ser mais mediadores. Usar de bom-senso. Discernir o que será melhor para todos: Construir coletivamente um grupo tem como premissa estarmos no mesmo barco. Aqui não há espaço para posições mais elevadas. Estamos todos no porão. Temos muito a construir para sairmos da condição em que se encontra o radioamadorismo capixaba.

Saber falar e saber ouvir. Saber dialogar de fato!

domingo, 3 de agosto de 2008

Suspeita de Fraude na Enquete

Caros amigos,

por consideração aos companheiros do 146500, retiramos do ar a enquete sobre a opinião a respeito da permanência ou não do Link PU1BRA Echolink-Conferência RENER. Motivo: Suspeita de Fraude.

Infelizmente o controle dos acessos fica por conta da própria administradora do Blog, sendo possível que um radioamador tenha a chance de fazer mais de um voto, além da própria alteração de seu voto anterior.

Vale salientar que esta foi uma ação deliberada e consciente de quem a fez, não condizente com o Código do Radioamador e a Ética Operacional.

---------------------------------------------------------------
Sobre o link Pu1BRA-L eu voto para que...

Continue em 146500 Mhz
16 (39%)
Seja retirado da frequência de 146500 Mhz
25 (60%)
Votos até o momento: 41 Dias restantes para votar: 21
---------------------------------------------------------------

Sem mais para o momento, agradecemos a atenção e pedimos desculpas pelo fato ocorrido.
Renan de Almeida

segunda-feira, 28 de julho de 2008

O Mito do Cabo Coaxial

O mito do cabo coaxial

Eu sempre digo que relação de ondas estacionárias ( R.O.E.), se ajusta na antena e não no cabo coaxial. E digo mais anda, que o tamanho ou comprimento da linha de transmissão coaxial é irrelevante para o funcionamento e R.O.E do sistema irradiante. Digo isto com base em fundamentos científicos e na própria experiência de anos que venho acumulando como técnico de RF, especializado na manutenção de transmissores de radiamador.

Existe circulando há anos, nos meios amadorísticos de radiocomunicação, algo que considero um mito a ser desmistificado neste artigo, qual seja: " o de que é necessário, essencial e imprescindível que o cabo coaxial seja cortado em um tamanho certo e exato múltiplo do cumprimento da onda, isto para fins de obtenção da almejada R.O.E. de 1,1:1, " este é o mito ! Esta crença , cuja possível origem também indicarei mais adiante, leva a muitas pessoas dedicarem horas a cortar pedaço por pedaço do seu cabo coaxial, buscando obter a diminuição da R.O.E..

O objetivo deste artigo é esclarecer que isto não é necessário, passando a entender o porque podemos de fato possuir um cabo coaxial com um tamanho aleatório e qualquer, tamanho este limitado apenas pela comodidade do radioamador em te-lo conectado do rádio à antena, sem sobras ou faltas e sem a desgastante preocupação de corta-lo e ainda ao depois picota-lo lenta e despedaçadamente, em pretenso ajuste fino de R.O.E. , numa tarefa desgastante e desnecessária.

A relação de onda estacionária se ajusta na antena e não no cabo ! Existe um fenômeno físico responsável por esta verdade, qual seja: " quando a linha coaxial de transmissão esta terminada por uma impedância de carga (lado da antena) igual a impedância característica da linha, de modo que a R.O.E. seja 1:1 ( na terminação), a impedância de entrada da linha ( lado do rádio) será simplesmente a mesma impedância do cabo coaxial independente do seu comprimento. Se a carga ( antena) se encontra perfeitamente adaptada a linha, esta ( a linha) aparecerá (para o rádio), como infinitamente comprida e a impedância de entrada ( lado do rádio) será a impedância característica da linha propriamente dita.

Ou de outro modo, uma linha curta, terminada em uma carga puramente resistiva igual a impedância característica da linha, atua justamente como se fosse infinitamente comprida , sendo que em uma linha equilibrada como a descrita ( Z linha = Z carga), a energia viaja desde a fonte ( transmissor) até a carga (antena) onde é completamente absorvida, sem reflexão ( onda estacionária). Referências técnico-teóricas contidas no conhecido livro " The Radioamateur's Handbook ", sustentam o acima descrito no mesmo sentido, senão vejamos : " Se a resistência de carga que denominamos Zr, era igual a impedância característica Zo, de uma linha, toda a energia era absorvida pela carga. No dito caso não existe potência refletida e portanto não há ondas estacionárias de corrente nem de tensão " (trecho que traduzi da obra citada, em castelhano, ed . 1962, Arbó - Argentina).

Ajustando a R.O.E.

Assim saibamos que, qualquer que seja o comprimento do cabo coaxial, na sua estação de radioaficcionado, quando sua antena for ressonante ai então sua resistência de irradiação será igual a impedância do seu cabo coaxial, só ai este cabo apresentará a sua impedância característica e transportará a energia de RF até a antena com a menor R.O.E. . Para ajustar a freqüência de ressonância da sua antena dipolo horizontal ou direcional, é necessário com o medidor de R.O.E ( refletômetro) acoplado na saída do transmissor, ajustar o comprimento da antena , aumentando-o ou diminuindo este tamanho, isto fará com que a antena passe a ressonar na freqüência que você escolheu previamente e apenas e tão somente nesta freqüência de ressonância sua impedância se adaptará a linha coaxial e a R.O.E. será a menor possível. Eis que o ajuste se faz na antena e o comprimento do cabo pode ser aleatório , mesmo porque apenas uma antena ressonante é a única que absorve e irradia a maior quantidade possível de energia .

Atenção, toda antena após calculada teoricamente o seu tamanho, necessita obrigatoriamente ajuste e conferência na prática, com o refletômetro ( medidor de R.O.E.) e um ajuste no seu cumprimento para mais ou menos do tamanho projetado, eis que isto é necessário, pois o meio ambiente em derredor (objetos) mudam, afetam e alteram a impedância da antena, afastando-a do resultado teórico-calculado, em relação ao prático.

Como Surgiu o Mito

Suponho que no decorrer dos anos, considerando que, quem conta um conto aumenta um ponto e ainda considerando que no meio radioamadorístico não predominam os técnicos em eletrônica, aliás a maioria atual são pessoas leigas interessadas mesmo em se aprimorar na radiotécnica, eis que provavelmente houve uma distorção e desvirtuamento do seguinte princípio físico das linhas ressonantes, que levou ao posterior surgimento e difusão do mito: " A impedância de entrada de uma linha que funciona com alta R.O.E ( observo : condição indesejável nos contemporâneos sistemas irradiantes de radioamador) , depende criticamente do comprimento da linha equivaler a algum múltiplo de um quarto de onda . Estas linhas que funcionam com alta R.O.E., são chamadas de linha sintonizada ou ressonante. " O citado "Amateur's Handbook" diz o seguinte sobre o caso (que traduzi) : "A sintonia da linha se torna unicamente necessária quando se deve tolerar um considerável desequilíbrio entre a carga e a linha " ( observo: para fins radioamadorísticos os modernos transceptores transistorizados não toleram consideráveis desequilíbrios entre antena e o cabo coaxial ).

Vemos ai então, toda a semelhança entre esta teoria " das linhas ressonantes de alta R.O.E. " , que provavelmente era aplicada na época em que existiam linhas de transmissão feitas com dois condutores paralelos, dos antigos sistemas de radiotransmissão , transformando-se contemporaneamente no mito do tamanho do cabo coaxial, múltiplo de ¼ da onda, ora desmistificado.

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA:

KEITERIS (PY2MOK - Léo), Leonas O mito do cabo coaxial, in Revista Radioamadorismo e Faixa do Cidadão, nº01, sd.

Postado por Alexandre Souza em http://sobecem.blogspot.com